A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) iniciará projeto de eficiência energética no prédio de sua sede, em Brasília. Inaugurado em julho de 1978, o complexo de três edifícios receberá novos sistemas de climatização, de iluminação e de microgeração distribuída com energia fotovoltaica.
O projeto tem consultoria técnica da GIZ, Agência Alemã de Cooperação Internacional (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeite GmbH), e será executado pela Companhia Energética de Brasília (CEB), via Contrato de Desempenho, com aplicação de R$ 8,3 milhões do Programa de Eficiência Energética.
O prédio será referência para órgãos públicos que pretendam ampliar a sustentabilidade e o uso inteligente da energia elétrica.
Parte do projeto prevê a instalação de usina solar fotovoltaica (UFV) na cobertura dos três prédios do conjunto. Serão instalados 1.760 módulos fotovoltaicos, com potência instalada de 510,4 kWp (0,5 MWP). A expectativa é de que cerca de 20% da energia utilizada pela ANEEL seja atendida pela microgeração fotovoltaica.
Haverá também a instalação de um abrigo para veículos, com módulos fotovoltaicos, e previsão para abastecimento de veículos elétricos.

noticia abrigo para veiculos com modulos fotovoltaicos e previsao para abastecimento de veiculos eletricos

Mais informações:

http://www.aneel.gov.br/web/guest/sala-de-imprensa-exibicao-2/-/asset_publisher/zXQREz8EVlZ6/content/id/14871996

No período de 23 a 25 de agosto de 2016 será realizada a INTERSOLAR South America, em São Paulo, no Expo Center Norte, com Feira e Conferência enfocando as áreas de energia fotovoltaica, tecnologias de produção FV, armazenamento de energia e tecnologias termo-solares.
A Conferência apresenta especialistas nacionais e internacionais que discutem as tendências tecnológicas, as evoluções do mercado, bem como novos modelos de negócios e soluções de financiamento para as áreas de energia fotovoltaica, tecnologia de produção fotovoltaica e energia solar térmica.
Mais informações:

http://www.intersolar.net.br/pt/inicio/para-visitantes/sobre-a-intersolar/intersolar-south-america.html

http://www.intersolar.net.br/en/home/program/conference/speakers/speaker-details.html?tx_intersolarconference_pi1[id]=2339&tx_intersolarconference_pi1[action]=details&tx_intersolarconference_pi1[controller]=Speaker&cHash=9654d142ab94c1074f84e29a2a95c777

O leilão teve como objetivo contratar energia elétrica proveniente de novos empreendimentos de geração a partir das Fontes Solar Fotovoltaica e Eólica.

Os empreendimentos que venderam energia estão localizados nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Paraíba, Bahia e Tocantins, totalizando 33 projetos.

A Fonte Solar Fotovoltaica ficou com 2.453 lotes contratados, com cerca de 1 GWp, o que movimentou mais de R$ 4,3 bilhões. O preço inicial para empreendimentos fotovoltaicos era de R$ 381,00/MWh.

O início do suprimento está previsto para 1º de novembro de 2018 e a energia elétrica gerada será objeto de Contrato de Energia de Reserva (CER), na modalidade por quantidade de energia, com prazo de suprimento de 20 anos.

O resultado completo do leilão está disponível em www.ccee.org.br


 

A partir do dia 01 de junho de 2016 entrou em vigor no Rio Grande do Sul o decreto número 52.964/2016 que isenta de impostos a mini e microgeração, para consumo próprio, a partir de fontes de energia renováveis. Com a medida, o governo do Estado pretende estimular o uso em maior escala da geração de energia fotovoltaica (produzida por módulos fotovoltaicos) e igualmente a geração por unidades eólicas e de biomassa, sempre que estiverem conectadas à rede elétrica de distribuição por meio de instalação na própria unidade consumidora.
Na prática, de acordo com o decreto, não haverá mais a incidência da alíquota de 30% do ICMS sobre a energia excedente enviada para a rede de distribuição por uma unidade consumidora, que será utilizada como crédito em kWh, nos termos do Sistema de Compensação de Energia Elétrica estabelecido pela Resolução Normativa ANEEL 482/2012. A iniciativa servirá de estímulo para os consumidores gaúchos instalarem sistemas fotovoltaicos em residenciais, comércio e pequenas indústrias.
Fonte: Secretaria de Minas e Energia - RS